RSS

Seminário final do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa de Rio Brilhante

http://www.riobrilhante.ms.gov.br/novosite/images/layout/logo.png                                        http://1.bp.blogspot.com/-jlx16CoUPgQ/UXlwPD6ynjI/AAAAAAAAADI/F-k1zvvcgzk/s1600/Logo+Pacto.jpg

Seminário final do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa de Rio Brilhante

Escola: Centro Educacional Municipal Criança Esperança I

Professoras: Gisele Moreira dos Santos
                     Luciana dos Santos Simplício
Turma: 2º ano A   Turno: Matutino

Quantidade de alunos: 28

Diretor: Hermes Jung

Diretor Adjunto: Angela

Coordenadora Pedagogica: Leodi

MATERIAIS DIFERENCIADOS NA SALA DE AULA
O uso de materiais diferenciados em sala de aula é extremamente importante para o desenvolvimento do ser humano, podendo auxiliar na aquisição de novos conhecimentos, facilitando muito no processo ensino-aprendizagem. Nos como lidamos com crianças em fase de alfabetização vemos a necessidade de introduzir esse tipo de atividade no cotidiano das aulas, para tanto escolhemos os jogos, em especial o jogo “Mais Uma.”

Com o jogo “Mais Uma” trabalhamos a compreensão de que as sílabas são formadas por unidades menores, ou seja, as letras, e que podem variar de acordo com a ordem em que são dispostas na palavra, com isso identificar as semelhanças e diferenças sonoras entre elas, além de memorização das letras do alfabeto. Esse jogo foi utilizado em 5(cinco) aulas, devido a dificuldade dos alunos em compreender e diferenciar letra e silaba. Para jogar é necessário dividir os alunos em grupos de 4 jogadores ou em duplas, ficando também a critério de cada educador.

Durante a realização do jogo é notável a agitação das crianças, pois para elas é uma aula diferente, pois estão acostumadas com o lápis e o papel, então é normal o barulho, não podemos querer silencio em uma aula com jogos, mas podemos observar que com o passar das aulas, as próprias crianças já foram se acostumando, iam se organizando, fazendo seus grupos e principalmente se concentrando no jogo, aquele barulho todo foi diminuindo, nem parecia uma aula com jogos.

Por fim tivemos um bom resultado, pois através da aula com materiais diferenciados os alunos conseguiram perceber a diferença entre letra e silaba, memorizaram as letras do alfabeto e perceberam as diferenças e semelhanças sonoras entre elas.

                        



Postado por L.S.Simplício.

Seminário final do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa de Rio Brilhante

http://www.riobrilhante.ms.gov.br/novosite/images/layout/logo.png                                                   lhttp://1.bp.blogspot.com/-jlx16CoUPgQ/UXlwPD6ynjI/AAAAAAAAADI/F-k1zvvcgzk/s1600/Logo+Pacto.jpg


Seminário final do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa de Rio Brilhante



Escola: Centro Educacional Municipal Criança Esperança I 

Professor (es):  Deis Almeida da Conceição
                            Maria Francisca da Silva
                            Marisa dos Santos Araujo
Turma (s): 3º ano A, B, D
Turno (s): : Matutino e Vespertino

Total de alunos:  28,29, 32 alunos,
Coordenação Pedagógica: : Rosely Sabino dos Santos
Direção: Hermes Jung

Relatório de aplicação da sequência didática:
Viviana, a rainha do pijama.
Primeiramente iniciamos o trabalho com a Leitura do livro Viviana,a Rainha do Pijama.Foi trabalhado 6 horas  aulas, onde exploramos o máximo os conteúdos propostos na Língua Portuguesa, que conta a história de uma bela garotinha, tendo como título do livro “Viviana, a Rainha do Pijama”.  Viviana adora animais e se pergunta o que eles vestem quando vão dormir. Uma história recheada de opções didáticas!
O texto oferece vários assuntos para estudos: localização geográfica, habitat de animais, escrita de cartas, bilhetes, vocabulário, rimas...
VIVIANA- Rainha do Pijama, uma menina que tinha um lindo pijama, porém tinha muitas dúvidas e ficava a pensar “Que pijamas os animais usam quando vão dormir?”
Então, para descobrir ela resolveu fazer uma festa do pijama convidando todos os animais da floresta e esses deveriam usar seus pijamas, pois o pijama mais animal ganharia um prêmio.
No grande dia da festa os animais chegaram com seus lindos pijamas.
Cada animal fez seu pijama levando em conta suas características próprias.
Na hora do prêmio os animais estavam muito alvoroçados, queriam saber logo qual era o pijama mais animal que seria o vencedor.
E o vencedor do concurso do pijama foi a própria Viviana, pois o pijama dela reunia características de todos os animais da floresta.
Cada parte do pijama lembrava de um determinado animal.
Os preparativos começam com a confecção dos convites.
Viviana escreve uma carta para cada um deles contando como será a festa e perguntando sobre os seus pijamas.
Os bichos respondem, aceitando o convite e descrevendo cada qual a sua roupa de dormir.
 Ao terminar a troca de correspondências entre a menina e os bichos, todos se encontram na tão esperada festa para escolher a roupa mais “sensacional.
        As crianças entraram no mundo da imaginação  usando a sua criatividade, seus conhecimentos  e tendo como objetivo  desenvolver os 5 eixos do conhecimento de Língua Portuguesa.
1º- Compreensão e valorização da cultura escrita (letramento);
2º- Apropriação do Sistema de Escrita (alfabetização);
3º- Leitura (interpretação de textos);    
4º-  Produção de textos escritos;
5º - Desenvolvimento da Oralidade.
• Ler pequenos textos, ajustando o oral ao escrito e construir conhecimentos sobre o funcionamento da escrita alfabética. Vale ressaltar, desta forma, a necessidade e a importância do trabalho com a diversidade textual na escola, pois, ela permite aos alunos a aquisição de um conhecimento amplo dos textos que circulam na sociedade, de seu funcionamento nas práticas sociais. Assim, com certeza, as crianças terão facilidade de compreendê-los e produzi-los quando precisarem. Depois de explorado a leitura do texto, os alunos irão ilustrar a história com: começo, meio e fim, confeccionar alguns convites para a festa do pijama, apresentação do autor do livro: Steve Webb, produção e interpretação do texto, passar o livro (Viviana, a Rainha do Pijama), individualmente para cada aluno folhear  e conhecer a história. Estudo das letras do alfabeto, identificando-as na história. Estudo dos animais apresentados na história (desenhos, lugar onde moram, características e outros).

 A avaliação  será feita através do  desenvolvimento, da leitura e  escrita, observando  o progresso dos alunos com relação a identificação das letras e família silábicas estudadas, produção e interpretação,  atenção e memorização da história e o registro diário das atividades aplicadas em sala de aula, permitindo observar o desenvolvimento individual e coletivo, interesse a participação do tema abordado.




Postado por L.S.Simplício

Seminário final do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa de Rio Brilhante




logo pacto final
Secretaria Municipal de Educação

Seminário final do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa de Rio Brilhante
Escola:  C.E.M. Criança Esperança I
Professor (es): Andreia Jaques; Edileuza Rocha ; Marcia Maria Ferreira.
Turma (s): 1° A;  1º B; 1ºC.   
Turno (s): Matutino e Vespertino
Total de alunos: 76
Coordenação Pedagógica: Leodi
Direção: Hermes Jung

Título: Leitura de   Parlendas

Conteúdos:
ü      Leitura da Parlenda Cadê o Toucinho Que Estava Aqui?
ü        Conhecimento das características próprias do gênero parlendas.
ü      Reconhecimento das diferenças e semelhanças do processo utilizado na língua oral e escrito.
ü      Leitura de textos memorizados.

Objetivos:
ü       Desenvolver a linguagem oral e escrita de maneira lúdica;
ü      Identificar palavras e frases dentro do texto memorizado;
ü      Identificar as palavras que tenham o mesmo valor sonoro;
ü      Conhecer as características desse tipo de texto.

Quantidades de aulas: 12 aulas.
Período de realização: 19/09/2013  a  27/09/2013.

Metodologia:
ü      Ler a parlenda para os alunos.
ü      Confeccionar cartaz para leitura e localização de palavras estabelecidas pelo professor.
ü      Interpretação dos textos a partir de atividades variadas como: cruzadinhas, auto ditado, caça-palavras e organização de palavras.



Avaliação:
     Foram analisados e observados os progressos nas hipóteses das escritas dentro do nível conceitual, interesse, interação, socialização e desenvolvimento dos alunos diante dos conteúdos apresentados.
 Todas as professoras já citadas, afirmam que no decorrer do desenvolvimento dos        conteúdos todas as turmas demonstraram interesse, entusiasmo e socialização com os colegas e com as atividades propostas. Alguns já conheciam a parlenda, facilitando ainda mais seu ensino e a aprendizagem.

Identificação das Turmas.

             Prof.ª Márcia                                                                            Prof.ª Andréia                                                                                                
C:\Users\USUARIO\1ª B  C. E. M. CRIANÇA ESPERANÇA I\SDC14080.JPGhttps://fbcdn-sphotos-a-a.akamaihd.net/hphotos-ak-prn1/560091_411499538953394_1358749922_n.jpg             Turma: 1º A                                                                            Turma: 1º B


















                      
                    
           F:\Imagens\foto0247.jpg  Prof.ª Edileuza
                                                                                                      1º C
                                                                                                            
                                                                                                     
                         
Postado por L.S Simplício

PROJETO: PROJOVEM URBANO

PLA- PLANO DE AÇÃO COMUNITÁRIA

VIOLÊNCIA URBANA




  







Sumário

1 RESUMO ..................................................................................... 04
2 INTRODUÇÃO ........................................................................... 05
3 DESENVOLVIMENTO............................................................... 06
4  OBJETIVOS GERAIS ................................................................ 07
5 OBJETIVOS ESPECÍFICOS ....................................................... 08
6 PÚBLICO ALVO ........................................................................ 09
7 PROCEDIMENTO METODOLÓGICO ..................................... 10
8 MATERIAIS UTILIZADOS........................................................  11
9 RESULTADOS ESPERADOS ...................................................   12
10 EQUIPE...................................................................................... 13
11 ANEXO...................................................................................... 14





Resumo
           
            “Em tempos de agravamento das contradições sociais, a humanidade esta a cada dia mais desumanizada e, esta desumanização, não é um fenômeno natural, mas sim histórico decorrente de múltiplas determinações presentes na ordem capitalista. Além da miséria material, o capitalismo constrói a miséria humana, pois o homem alienado e fragmentado é impedido de perceber-se em totalidade, muito menos, como sujeito histórico e social.” Andréa Pires Rocha.
            Os munícipes de Rio Brilhante/MS vivem uma realidade que na atualidade vem assustando a população. O alto índice de violência tem acarretado grandes problemas sociais, agressões e muitas vezes em tragédias de maior proporção. Pensando em melhorar a qualidade de vida desta população e também fazer com que a comunidade, de um modo geral desenvolva uma consciência crítica, é que pretendemos desenvolver o projeto em questão.
            O foco principal do projeto de Ação Comunitária está centrado no alto índice de violência praticado no município de Rio Brilhante e será todo direcionado principalmente ao público jovem, tendo em vista que a maior violência praticada na realidade local é praticada e vivenciada pela juventude.
Identificamos com pesquisas realizadas, que as principais causas do comportamento violento entre os jovens são a ausência dos laços afetivos familiares, a facilidade de consumir drogas lícitas e ilícitas e a falta de espaços alternativos de lazer que resultam na privação da educação e melhores condições de vida da população do Município. Todo esse círculo vicioso supostamente se origina a partir da falta de condições de uma vida digna que faz com que as pessoas percorram caminhos ilegais e criminosos. 
            Portanto, trabalhando as áreas temáticas envolvidas no projeto e ajudando-os a expor o tema violência, utilizando a explanação e debate como elemento sensibilizador, com certeza, a transformação será lenta, mas visível futuramente. Portanto, os resultados que queremos alcançar é sensibilizar, conscientizar e problematizar a questão da violência no município para alertar às autoridades, políticos e comunidade em geral para o tema proposto.




Introdução

O Projeto surgiu a partir da Proposta Pedagógica apresentada no programa do Projovem Urbano que apresenta em seu currículo a dimensão conhecida por “Participação Cidadã”, que propõe o envolvimento dos jovens e a preocupação dos mesmos aos problemas que mais tem afetado a população do município em que residem, ou seja, o Município de Rio Brilhante/MS. No interior das salas de aula mediada pela educadora de Participação Cidadã, os alunos listam os principais desafios e em seguida realizam a escolha daqueles que merecem uma maior atenção. Dentre os desafios apontados pelos alunos o que mais sobressaiu foi à questão da Violência “Urbana” que em vários campos da sociedade tem afetado diretamente a todos.
A escola e a população de um modo geral exercem papel fundamental na contribuição para a conservação e preservação do meio ambiente e patrimônio público, além de cobrar do poder público políticas que favoreça a médio e longo prazo situações de violência.  Para isso, foi pensado o uso de múltiplas ações no Plano de Ação Comunitária que visa propor ações para melhorar a qualidade de vida de todos. Assim, no decorrer do Projeto, espera-se sensibilizar de forma significativa o modo de pensar e as posturas individuais, familiares e coletivas para a construção de um mundo melhor. A forma como nos relacionamos com as pessoas à nossa volta está diretamente ligada à qualidade de vida que nós temos.
A realidade no município de Rio Brilhante é um pouco menos violenta que em grandes centros do país, mas já requer uma atenção diferenciada daqueles que participam mais direta ou indiretamente de nossa vida social. Os jovens educandos do Projovem Urbano preocupados com essa triste realidade irão desenvolver o projeto de combate à violência urbana para conscientizar a população de seu verdadeiro papel na sociedade.



Desenvolvimento

A violência urbana é um dos problemas mais preocupantes na contemporaneidade. Entre os múltiplos fatores que colaboram para a ocorrência desse problema, podemos considerar: desemprego, as aglomerações na periferia, a impunidade, entre outros.
            O desemprego atinge grande parcela da população brasileira, muitos dessas pessoas se envolve em atividades ilícitas como estratégia para conseguir os recursos que necessita pra sua sobrevivência.
Muitas pessoas migram de uma cidade para outra em busca de trabalho, por falta de condições financeiras se instalam em periferias, causando grandes aglomerações com isso ocorre à disputa de espaço, e a escassez de privacidade, provocando grandes conflitos entres os moradores, também podemos citar como motivo causador da violência a impunidade.
            A violência Urbana engloba uma série de violências como a doméstica, físicas, morais, escolar, dentro do trabalho, contra os idosos e crianças, homicídios, furtos, uso de drogas ilícitas e tantos outros que existem e que geram esse emaranhado que se tem conhecimento. Inúmeras são as idéias e os projetos feitos para erradicar a violência urbana, porém cabe a cada cidadão a tarefa de se avaliar para que a minúscula violência que se tem feito seja eliminada a fim de que grandes violências sejam suprimidas pela raiz.
Buscaremos com este projeto elaborar, planejar, preparar e executar ações de sensibilização principalmente da população jovem do Município de Rio Brilhante, onde buscamos sensibilizar a população ou minimizar essa violência que só vem aumentando a cada dia entre os jovens.




Objetivos Gerais
Sensibilizar, conscientizar e problematizar a questão da violência no município de Rio Brilhante para alertar às autoridades, políticos e comunidade em geral para o tema proposto em questão no projeto do PLA (Plano de Ação de Comunitária).


Objetivos Específicos

·        Conscientizar e problematizar a questão da violência no município de Rio Brilhante para alertar as autoridades, políticos e população em geral para o tema proposto no Plano de Ação Comunitária.
·        Firmar parcerias junto a Polícia Civil, Polícia Militar, Secretaria Municipal de Assistência Social, CRAS, CREAS e Secretaria de Saúde do Município para alcançar a sensibilização da população em relação ao alto índice de violência enfrentado no município hoje e procurar junto a eles alcançar a conscientização do público jovem em relação aos malefícios encontrados ou presenciados quando se pratica violência ou quando se torna alvo da mesma.
·        Consolidar parcerias com outros órgãos competentes para que se comprometam a dar continuidade às ações do PLA.
·        Elaborar políticas públicas envolvendo o poder público e a população que amenizem a situação da violência no município de Rio Brilhante.


Público Alvo
  • Alunos do ProJovem Urbano (jovens brasileiros de 18 a 29 anos que, apesar de alfabetizados, não concluíram o ensino fundamental) e a População do Município de Rio Brilhante MS de modo geral.



Procedimentos metodológicos

  • Confecção de materiais didáticos alternativos camisetas, panfletos, cartazes, adesivos e outros.
  • Exposição dos trabalhos criados pelos alunos para desenvolvimento do projeto do PLA no Projovem Urbano.
  • Conscientização dos educando acerca da violência no município de Rio Brilhante através de vídeos e depoimentos dos próprios alunos.
  • Realização de palestras com profissionais de instituições públicas de Rio Brilhante, ligados ao enfrentamento à violência.
  • Exposição das estatísticas anotadas na pesquisa de campo obtidas através de dados específicos da Polícia Civil e Militar.
  • Entrega de folders explicativos alertando a comunidade do município para a questão do alto índice de violência.
  • Passeatas e passeios ciclísticos chamando atenção da população para o problema.
  • Divulgação do projeto na mídia local.
  • Panfletagem nos principais bairros da cidade.
  • Entrega de adesivos na principal rua da cidade para promover a conscientização.





Materiais utilizados

·  Data show;
·  Máquina fotográfica;
·  DVD;
·  Papel A4;
·  Livros didáticos e guias;
·  Cola branca;
·  Tesouras, balões multicor;
·  TNT coloridos;
·  EVA multicor;
·  Camisetas;
·  Cartazes;
·  Caixa de som,
·  Microfone;
·  Adesivos;
·  Faixas;
·  Carro de som.




Resultados esperados com o PLA

Espera-se ao finalizar esse referido projeto de Ação Comunitária conseguir sensibilizar a população jovem do Município quanto aos malefícios que a violência causa na vida do ser humano, principalmente quando se é jovem e ainda esta por vir anos de experiência e de vivencia dentro de uma sociedade.





Equipe de educadores envolvidos no PLA
  • Alcimara Ferreira Cardoso - Coordenadora
  • Ana Paula Marques Leite – Educadora de Participação Cidadã
  • Queli Cristina Brogiatto – Educadora de Ciências da Natureza
  • Mauro Berto Gonçalves – Educador de Qualificação Profissional
  • Veimar Luiz Agostineli – Educador de Ciências Humanas
  • Vanderlei Luiz Kotz – Educador de Matemática
  • Taciana Adriane Fredrich – Educadora de Inglês
  • Márcia Aparecida Lima Fernandes – Educadora de Língua Portuguesa


Equipe Administrativa do Programa

·        Fernanda Pereira Campos – Acolhedora de criança.
·        Rodimar Soares Andrade – Monitor de Atividades Práticas.
·        Jaqueline Rodrigues Micheas – STE.













Projeto: Horta e Jardinagem na garrafa pet




CENTRO EDUCACIONAL MUNICIPAL CRIANÇA ESPERANÇA I













HORTA E JARDIM NA GARRAFA PET: APRENDENDO EDUCAÇÃO AMBIENTAL E SUSTENTABILIDADE















RIO BRILHANTE, MS
2013


CENTRO EDUCACIONAL MUNICIPAL CRIANÇA ESPERANÇA I







HORTA E JARDIM NA GARRAFA PET: APRENDENDO EDUCAÇÃO AMBIENTAL E SUSTENTABILIDADE



Projeto realizado com os alunos do "Mais Educação" 
da Escola C.E.M.C.E.I,   pelas  professoras Caroline 
Martins da Motta,   Eliane Marques da  Silva  Neves,
Gisele   Moreira   dos  Santos,  Maria  Aparecida  H.
Nascimento   e      Maria   Luciene     dos      Santos.




 
 
















RIO BRILHANTE, MS
2013

SUMÁRIO


1. IDENTIFICAÇÃO .......................................................................................04
2. INTRODUÇÃO ...........................................................................................05
3. JUSTIFICATIVA .........................................................................................06
4. OBJETIVOS ...............................................................................................07
5. METODOLOGIA ........................................................................................08
6. RECURSOS UTILIZADOS ........................................................................09
7. CRONOGRAMA ........................................................................................10
8. AVALIAÇÃO ..............................................................................................11
9. BIBLIOGRAFIA..........................................................................................12

1. IDENTIFICAÇÃO


Escola: C.E.M. Criança Esperança I
Endereço: Rua Expedicionário Hugo Gonçalves
Diretor: Hermes Jung
Coordenador Geral do Programa “Mais educação”: Miquéias dos Santos
Coordenadora do Programa “Mais educação”: Maria Luciene dos Santos
Projeto: Horta e jardim na Garrafa Pet: uma Aprendendo Educação Ambiental e Sustentabilidade.
Envolvidos: Alunos do Projeto Mais educação e as professoras Caroline Martins da Motta, Eliane Marques da Silva Neves, Gisele Moreira dos Santos e Maria Aparecida Honorato O. Nascimento.
Período: Junho a Novembro de 2013.

2. INTRODUÇÃO

O Projeto Horta e Jardim nasceram da necessidade da inclusão dos alunos na realidade global no que diz respeito à Educação Ambiental, visando a sustentabilidade do Meio Ambiente, ensinando o respeito mútuo entre a Sociedade e a Natureza, entendendo esta como sendo a sua morada.
A horta e o jardim é um excelente meio para potencializar o aprendizado do aluno e despertar seu interesse para a alimentação saudável e a beleza das plantas.
O contato com a natureza é uma experiência muito válida para crianças e adolescentes, onde as  atividades ligadas ao uso do solo tais como revolver a terra, plantar, arrancar matos, podar, regar não só constituem em um ótimo exercício físico como representam uma forma de aprendizado saudável e criativo, tal qual o contato com as coisas da natureza.  
Ao montar a horta e o jardim na escola, professores de todas as áreas terão um laboratório vivo, podendo trabalhar os mais variados temas. Entende-se que, para se trabalhar esta educação permanente e dinâmica como se deve ser, é preciso criar na escola um ambiente capaz de envolver os professores de todas as disciplinas, funcionários em geral e também a comunidade. Não dá para tratar só das questões de natureza como se esta estivesse desassociada da sociedade ou qualquer trabalho neste âmbito.
A horta e o jardim escolar têm como foco principal integrar as diversas fontes e recursos de aprendizagem, integrando ao dia a dia gerando fonte de observação e pesquisa exigindo uma reflexão diária por parte dos alunos e os demais envolvidos.
Este projeto visa proporcionar possibilidades para o desenvolvimento de ações pedagógicas, por permitir práticas em equipe explorando a multiplicidade das formas de aprender.

3. JUSTIFICATIVA

O contato com a terra no preparo dos canteiros e a descoberta de inúmeras formas de vida que ali existem e convivem, o encanto com  as sementes que brotam como mágica, a prática diária do cuidado – regar, transplantar, tirar matinhos, espantar formigas é um exercício de paciência e perseverança até que a natureza nos brinde com a transformação de pequenas sementes em flores, frutos, verduras e legumes viçosos e coloridos.
O homem tira da terra o seu sustento, isso faz com que aprenda a mexer nela, a prepará-la para o cultivo, a ter uma relação homem-natureza, pois ele depende dela para a sua sobrevivência. No entanto para muitos seres humanos, esta relação esta perdida, para muitos, o “solo” de onde o seu alimento é tirado é apenas “terra”, pois atualmente na sua rotina não há mais tempo para tal relação.
Hoje as crianças e adolescentes no ambiente externo a escola, normalmente estão em frente à televisão e vídeo games, não tendo mais o contato com o meio ambiente.
Assim, se faz necessário que se resgate esse contato, permitindo este relacionamento, é desta forma que as hortas nas escolas possuem um papel importantíssimo. Além de permitir a discussão sobre a importância de uma alimentação saudável.
As hortas e os jardins escolares são instrumentos que, dependendo do encaminhamento dado pelo educador, podem abordar diferentes conteúdos curriculares de forma significativa e contextualizada e promover vivencias que resgatam valores.

4. OBJETIVOS:

Objetivo Geral

Conscientizar os alunos, funcionários e familiares quanto à necessidade de práticas alimentares mais saudáveis gerando mudanças na cultura da comunidade no que se refere à alimentação, nutrição, saúde e a qualidade de vida de todos e Transformar uma área propicia em um jardim como espaço de lazer e conhecimento através da utilização de técnicas de paisagismo e jardinagem.

Objetivos Específicos

Promover estudos, pesquisas, debates e atividades sobre as questões ambientais, alimentar e nutricional;
Oportunizar trabalhos escolares dinâmicos, participativos e prazerosos;
Oportunizar a participação da comunidade escolar (alunos, funcionários e familiares) nas atividades da escola.
Reeducar e estimular a alimentação saudável;
Ensinar os alunos  a cultivar um jardim e uma horta,  tornando-os multiplicadores e incentivando seus familiares a desenvolver essas práticas.
Ensinar o valor nutricional  e funcional dos vegetais na alimentação, mudando assim, os hábitos alimentares.
Ensinar o ciclo de vida das plantas e as condições ambientais mais propícias para seu o desenvolvimento;
Valorizar a produção agrícola e o trabalhador rural.

5. METODOLOGIA

O desenvolvimento do projeto acontecerá da seguinte forma:
- Aulas teóricas sobre plantio e cultivo e demais conteúdos relacionados ao assunto, bem como educação ambiental e sustentabilidade.
- Aulas na sala de tecnologia educacional com jogos educativos sobre o assunto.
- Aulas práticas onde, os alunos irão: cortar as garrafas, preparar a terra e colocar nas garrafas que ficarão penduradas no muro da escola e semear as sementes.
- Aulas diversificadas utilizando cruzadinhas, caça-palavras e jogos sobre frutas, legumes e hortaliças.


6. RECURSOS UTILIZADOS

6.1 – Recursos materiais:
- Alicate, arame, tesoura, terra, estilete, sementes diversas  e mudas de hortaliças, garrafas pet e parafusos.
- Sala de tecnologia educacional (STE)


6.2 – Recursos humanos:

- Direção, coordenação, funcionários administrativos, professores e alunos


7. CRONOGRAMA

Data de execução
Quantidade de aula
Atividade a ser desenvolvida
03 à 28/06
40
Aulas teóricas sobre hortaliças e jardim.
01 à 31/07
45
Aulas teóricas sobre irrigação, adubação, plantio e educação ambiental.
01 à 30/08
50
Aulas diferenciadas com produção de desenhos, jogos, aulas na ste, cruzadinhas e caça-palavras.
02 à 30/09
40
Preparação de garrafas (coleta, marcações, corte e fixação no muro).
01 à 31/10
45
Preparação da terra (mistura da terra com areia, esterco de galinha e adubo orgânico).
Enchimento das garrafas (horta) e dos pneus (jardim).
01 à 22/11
30
Plantio das hortaliças e das flores.
Cuidados (tirar bichinhos, regas e fazer a manutenção)


  

8. AVALIAÇÃO

A avaliação será feita no decorrer do projeto, através da participação dos alunos; ou seja, será continua e diária.

  

9. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos: Temas Transversais. Brasília: MEC/SEF, 1998.

CAVALCANTI,  K. Uma chance para mataRevista Terra. Outubro de 2003.

KRASILCHIK, M. Prática de ensino de biologia. 4. ed. São Paulo: Edusp, 2004. 197 p.

SONCINI,  M. I.  & CASTILHO Jr. M. Biologia. 2ª ed. São Paulo: Cortez, 1988.

SILVA Jr.  C. &  SASSON S.  Biologia 03 , 4ª ed.  Saraiva, 1997.

Postado por: E.M.S. Neves





Write here, about you and your blog.
 
Copyright 2009 C.E.M. "CRIANÇA ESPERANÇA I" All rights reserved.
Blogger Templates created by Deluxe Templates
Wordpress Theme by EZwpthemes